701b09fabc0a3842257d7819091ec2cfMas todo mundo continua esperando que as mesmas floresçam a cada primavera. Quase que instantaneamente dei de cara com um mundo que não fazia questão de enxergar. Tenho acordado e ido dormir com noticias que me partem o coração, não como Brasileira, mas como pessoa, como ser humano. Somos feitos de carne, e quase todos sentimos as mesmas dores. Não pensei que estaria aqui pra presenciar cuspidas de um ser na cara de outro. Tudo bem, que nos exaltamos muitas vezes e podemos até perder o controle da situação. Não podemos perder, é o respeito. Sempre concordei com uma frase que diz assim, o nosso direito vai até onde começa o direito do outro. Temos sim direito a expôr nossas opiniões, mas fazendo isso, precisamos ouvir e aceitar a opinião do outro, por mais que muitas vezes ela seja contrária a nossa.Sempre tive opiniões fortes bem formadas sobre grande parte dos assuntos. Mas, sempre fui do tipo que prefere ouvir a opinião do outro, pegar o bom, jogar fora o que não interessa e deixar passar. Sempre tive amigos com opiniões diversas a respeito de politica, futebol, religião, aqueles assuntos que não costumo discutir. Nunca, nenhum deles, foi motivo pra briga ou cara amarrada. Ahh, claro, a não ser quando nosso Mengão ganhava no vasco (coisa que tem sido rara), aí não tinha como fugir. Não vou discutir sobre nenhum dos temas que nos trouxeram até aqui. Não é do meu feitio. O fato é que não entendo onde foi que deixamos de nos respeitar. Desde quando, achamos que temos direito de invadir o corpo do outro? Nosso corpo é nossa casa. É onde mora nossa alma. Nossos pais (ou pelo menos os meus), nos ensinaram que cuspir é feio. Imagina o tamanho da falta de respeito, cuspir na porta da casa do outro? Em que momento nos perdemos? Quando foi que tomamos o outro como inimigo por conta de uma opinião contrária? Se fosse assim, maridos e esposas viveriam em guerra. Pais e filhos não trocariam olhares. Nossos avôs? Seriam quase terroristas. Porque meu bem, ninguém é igual a ninguém. Ninguém pensa como ninguém. Cada um de nós é um universo, e enxerga as coisas do seu modo. E por mais que muitas vezes, o outro esteja falando um montão de asneiras, é seu dever respeitar. Você já pensou no mundo que quer deixar pros seus filhos? Eu penso nisso todos os dias. Quero vizinhos que se conhecem e se cumprimentem. Quero saber o nome da menina da padaria e poder dizer que ela ficou linda de cabelo novo. Quero poder dar minha opinião sem me sentir culpado ou com medo, do que o outro vai pensar, de como ele vai reagir. Ninguém é bonzinho 100% do tempo. Nem sempre a gente acerta. E todos nós temos dias ruins. A diferença esta no querer mudar. Querer ser melhor. Não só por você, mas pelo outro. Já fui do tipo que pensava, eu sou assim e o mundo que me aguente! Meu bem, o mundo não tem que aguentar ninguém não. Você precisa olhar pra dentro de você, e começar a cutucar cada uma das coisas que incomodam, que são desconforto, pra você ou pro outro. Mudar não dói. O que dói é aceitar que é preciso mudar. É enxergar que você não é perfeito, aliás, é enxergar que você tem muito mais defeitos que o outro. Mas é aí que se esconde o grande segredo da vida. Olhar para si e ao mesmo tempo enxergar além do seu umbigo. Plante um jardim, ciente, que as rosas trazem espinhos, e que o mesmo só irá florir na primavera. Um dos segredos da vida é esse, se doar, sem esperar muito em troca. Como diz aquele antigo ditado, sempre fica um pouco de perfume nas mãos de quem entrega rosas.

 

Publicado por: Rayra Zunino