O lutador de MMA Maiquel Falcão, que se envolveu em uma briga em um posto de combustíveis no inicio do mês, em Camboriú, prestou depoimento na tarde desta terça-feira à Policia Civil. O atleta voltou a afirmar que sofreu injúrias de cunho racial por parte de Ingrid Maçaneiro e negou que tenha a agredido com umtapa, como aparenta nas imagens das câmeras de monitoramento.

No entanto, a versão apresentada por ele é considerada falha pela polícia. Em depoimento, Falcão contou que não assediou a vendedora Ingrid e que, depois de ser ofendido por ela, tentou apenas afastá-la com a mão. 

A confusão entre os dois foi o estopim para uma pancadaria iniciada em seguida entre os lutadores Maiquel e Kauê Mena, amigos de Ingrid e um cliente do posto de combustíveis. As informações sobre as declarações de Falcão são da delegada Daniela Souza, responsável pelo inquérito. O depoimento era um dos principais e estava em aberto, já que da primeira vez que falou o lutador disse não se lembrar de nada. 

– Ele está se lembrando aos poucos, cada vez mais a memória dele tem voltado – diz a delegada. 

Depoimento

O lutador chegou para depor com alguns minutos de atraso e foi acompanhado pelo advogado. Apesar de ter dado uma entrevista recente a uma emissora de televisão, ele se negou a falar com a imprensa:

– Infelizmente não posso falar nada, mais para frente meu advogado vai entrar em contato com vocês. 

À delegada, o lutador contou que na conveniência do posto Ingrid achou que ele a tivesse assediado, em seguida a vendedora teria ofendido Maiquel e chamado os colegas. 

– Ele diz que a Ingrid usou um tipo de xingamento em referência à raça. A briga começou, mas ele diz que praticamente se defendeu. Disse que ele e o Kauê estavam saindo e se sentiram acuados porque aquele grupo permanecia no pátio do posto – conta Daniela. 

O atleta só saiu da delegacia mais de uma hora após ter entrada no local. Tomando como base o que já foi apurado até o momento, porém, a responsável pelo inquérito não acredita na completa veracidade dos relatos de Maiquel Falcão. 

– A versão do Falcão, na minha opinião, é um pouco falha – diz. 

O advogado Richard Olivette, contratado por Falcão, também não quis dar detalhes sobre o depoimento do cliente nem comentar sobre o inquérito. 

– Nós estamos contribuindo com a Justiça. A imprensa vem mostrando situações que não são reais. E nós, com o tempo, vamos esclarecer a verdade – comenta Olivette.

Entenda o caso 

Durante a madrugada do sábado, 6 de julho, câmeras de segurança de um posto de combustíveis gravaram o lutador de MMA Kauê Mena sofrendo agressões por um grupo de pessoas. A briga teria iniciado após Maiquel Falcão, também lutador, ter assediado uma garota que estava no caixa da loja de conveniências. 

Após a situação, os amigos da moça teriam ido tirar satisfações com Maiquel e o conflito começou dentro da loja, seguindo para a parte de fora. As imagens mostram pelo menos seis pessoas envolvidas no conflito e uma delas aparenta utilizar um pedaço de madeira para atingir Kauê.

Reportagem: diariocatarinense.clicrbs.com.br