Policiais Civis catarinenses oficializaram o governo do estado sobre a GREVE GERAL da categoria que vai começar na próxima segunda-feira(29). O comunicado se deu com as 72 horas de antecedência previstas em lei após os 15 dias de Indicativo de Greve dado ao Governo, informa o Sindicato dos Policiais Civis de Santa Catarina (SINPOL-SC).

Com a greve geral, os Policiais Civis vão paralisar os serviços das delegacias de polícia, inclusive das unidades especializadas, DETRAN, CIRETRANS e CITRANS – unidades que emitem documentos de trânsito, bem como serviços relativos a fiscalização de jogos e diversões – mantendo apenas o atendimento com 30% do efetivo em casos graves conforme à Lei. 

 A decisão veio após o “Enterro Simbólico da Polícia Civil” que aconteceu em Lages na manhã dessa terça-feira (23) e reuniu cerca de 500 policiais civis de todo o estado.

Já no próximo sábado, dia 27, estão marcadas sete (7) Assembléias Regionais simultâneas para formalizar o início da Greve Geral – que começa já na próxima segunda-feira em todo o Estado.

 Segundo o SINPOL-SC, dados oficiais mostram que desde 2007 a corporação perdeu quase 1.000 Policiais – o que faz com que o efetivo seja praticamente o mesmo de 30 anos atrás. 

 Dessa forma, a Polícia Civil Catarinense atua, apenas, com metade do efetivo considerado ideal. Somado a isso estão os baixos salários, defasados há mais de 10 anos e considerado um dos piores entre as polícias civis de todo o país.

 “Face o total descaso do Governo com os Policiais Civis, a categoria vai decretar a maior Greve já vista em Santa Catarina! Até agora só nos foram apresentadas propostas salariais totalmente desproporcionais às nossas atividades – que são de caráter técnico-jurídico. Nossa situação salarial é calamitosa e a paciência acabou!”, reitera Anderson Amorim – Presidente do Sindicato da Categoria (SINPOL-SC).

Fonte : SINPOL SC – Sindicato dos Policiais Civis de Santa Catarina