O segundo semestre da Escola de Teatro, Dança e Música de São João Batista vem registrando elevada evasão de alunos e preocupa os professores. De acordo com Esther Rodrigues, professora de Teatro, os índices reduzem normalmente após as férias de junho e é ocasionada principalmente pela pressão dos pais, para que os estudantes se foquem nas notas da escola regular.

Alguns pais acabam tirando os filhos dos cursos extracurriculares, o que é considerado um erro pelos educadores. “A Escola de Teatro, Dança e Música vem numa necessidade de melhorar o aluno, qualificar o seu tempo. O aluno pode fazer qualquer uma das atividades e não perder a qualidade na escola. Um é complemento do outro”, afirma Esther.

No primeiro semestre aproximadamente 350 alunos participavam das atividades do departamento de cultura. Agora é registrada uma queda e cerca de 50 crianças e adolescentes deixaram de participar dos cursos. Como não existe cobrança de frequência e notas o processo de desistências é acelerado. Nos dias de chuva e frio, por exemplo, é baixa a participação.

Embora as normas não sejam as mesmas da escola regular, os professores procuram incentivar a disciplina e respeito às regras. E os pais são ferramentas fundamentais já que podem estimular a permanência nos cursos. A escola é aberta gratuitamente aos batistenses e é a única no Vale do Rio Tijucas. Esther Rodrigues afirma que a maior queda na participação aconteceu nas aulas de violão.

“A gente percebeu que alguns alunos deixaram de frequentar principalmente por causa da chuva e frio. Gostaríamos que esses estudantes retomassem as aulas. É muito importante as aulas porque eles estão lendo, interpretando. Tudo isso é preparo para o dia-a-dia. O pai fica preocupado que o aluno tem uma queda na nota escolar, mais não quer dizer que são as atividades extracurriculares que estão tirando a atenção de seu filho”, argumenta.

Está em estudo a possibilidade de aumentar as exigências de frequências. Mas é o comprometimento, principalmente dos pais, que devem segurar as crianças e adolescentes nas escolinhas do departamento de cultura. Nos próximos meses iniciam as apresentações artísticas e é o formato de mostrar que os alunos estão aprendendo e as evoluções. Algumas crianças já recebem treinamento a cerca de cinco anos.

“Quando falta com muita frequência ou acaba desistindo, acaba prejudicando todos os outros. Como montar uma apresentação artística com data e público esperando se você não tem a participação e a qualificação do aluno?”, questiona Esther Rodrigues.

Para reduzir o número de desistências nas escolinhas o departamento de cultura vai intensificar a divulgação dos trabalhos desenvolvidos pelo setor. Outro foco de atuação será na conscientização dos pais em incentivar as crianças e adolescentes a participar das atividades culturais. A arte possibilita o desenvolvimento de atitudes essenciais para o indivíduo como o senso crítico, a sensibilidade e a criatividade. O batistense tem disposição às escolinhas, é só fazer bom proveito.